As 5 mentiras mais comuns nos currículos
Contar mentiras no currículo pode ser um hábito comum, mas prejudicial à longo prazo.

As 5 mentiras mais comuns nos currículos

Quem nunca falou mentiras no 1º de abril que atire a primeira pedra. Mas que essas “brincadeiras” fiquem só entre amigos e muito longe do seu ambiente de trabalho e, principalmente, do seu currículo, que precisa merece atenção especial. O hábito de usar informações falsas, exageradas ou, até mesmo, de omitir algumas coisas, é uma prática perigosa, que, se descoberta, coloca em risco toda a sua credibilidade. Veja abaixo quais mentiras mais contadas e corra para não cair no mesmo erro.

  1. Contar mentiras sobre a saída da última empresa em que trabalhou

Em geral, demissões não são bem vistas no mercado, mas isso não é motivo para você mentir. Caso seja notada, essa mentira pode passar a impressão de que você tem algo a esconder.

  1. Idiomas

Apesar de ser uma das mentiras mais comum, é a mais fácil de ser descoberta. Uma conversa com o recrutador o a aplicação de um teste pode checar essa proficiência. Portanto, procure explicar esse grau de fluência, caracterizando separadamente as habilidades de “fala”, “escrita” e “leitura”.

  1. Tempo de trabalho

O tempo que permaneceu em uma empresa costuma ser mudado ou omitido por candidatos. Não importa o motivo, o melhor é colocar a verdade no currículo e, pessoalmente, explicar os motivos do período.

  1. Exagerar nas responsabilidades e no salário

Trocar um projeto em equipe para um triunfo pessoal acontece aos montes, mas nem sempre se sustentam. Principalmente quando o recrutador busca saber quais as atribuições do candidato no projeto.
Outra questão comum é o costume de aumentar o valor do salário recebido em empregos anteriores. No entanto, isso pode acabar se tornando um entrave para a contratação.

  1. Formação

Dizer mentiras sobre a formação é altamente problemático. Além de ser um critério objetivo, você pode acabar contratado e não conseguindo desempenhar sua função, por falta das competências necessárias.

Este post tem 2 comentários

Deixe uma resposta