Em 2015 o Brasil começou a enfrentar uma crise econômica que trouxe como consequência uma onda de desempregos e ainda deixa reflexos nos dias de hoje. Como alternativa, muitas pessoas que perderam seus cargos buscaram atuar de forma autônoma.

A pergunta é: esses trabalhos autônomos devem ser colocados no currículo atualizado?

Primeiro, deve-se avaliar se a experiência é agregadora para a vaga que está buscando, da mesma forma que fazemos com experiências de trabalho formal. Permanecem no currículo apenas as mais recentes ou de maior relevância para o cargo desejado. Uma sugestão é manter o trabalho como autônomo no campo “última experiência”.

Ao acrescentar essa experiência, forneça informações como: o que você faz, qual principal desafio da função, onde pode contribuir nos projetos e resultados obtidos.


Essas informações passam uma mensagem clara para os avaliadores de que você permaneceu em movimento, adquirindo novas experiências e que que é capaz de ser versátil e se reinventar. Isso pode contar pontos positivos em um momento de seleção.